Se você chegou até aqui, provavelmente está procurando aprender sobre gramática francesa para aprimorar o seu aprendizado do idioma. Caso seja verdade, ficamos felizes em saber que você quer aprender o francês da vida real! 

Por isso, vamos ser bem sinceros desde já: no Método Afrancesados, a gramática é a parte menos importante da sua jornada para se comunicar como um fluente da língua francesa. Quer entender o porquê? A gente te conta nesse texto.

C’est parti ? Allons-y !

O que ninguém te conta sobre a gramática francesa

Primeiramente, queremos contar a história de Roberta, uma das fundadoras do Método Afrancesados. Assim como você, ela também já foi estudante de francês e tinha o sonho de estudar em uma universidade francesa. 

Após 3 anos de estudos em uma escola tradicional de francês, Roberta finalmente chegou em Paris para iniciar a sua pós-graduação em direito na renomada universidade Sorbonne.

Foi quando ela percebeu a realidade que poucos admitem: todo o esforço e energia dedicados ao aprendizado da gramática francesa não garantiram que Roberta entendesse o que os franceses diziam, muito menos como se comunicar com eles de forma fluida.

Isso mudou completamente a sua visão sobre o aprendizado do francês, visto que decorar regras da gramática como conjugação de verbos só gerava ansiedade – e no final das contas, não contribuía para a sua fluência. 

Afinal, a gramática só existe porque a língua existe. Ela vem justamente para organizar e categorizar o idioma, mas sem o francês propriamente dito pelos nativos, sequer haveria gramática. 

Você não precisa decorar as regras da gramática francesa para aprender francês

Ainda não ficou claro que é possível aprender francês sem decoreba? Imagine, então, que você deseja aprender a dirigir. Você começaria focando na mecânica do carro? Em como funciona exatamente um motor? 

É claro que não, pois isso tiraria o foco do real aprendizado, que passa por entender como utilizar os três pedais do carro, como passar uma marcha, como usar o volante e fazer, de fato, o carro andar. 

O mesmo vale para o aprendizado de um novo idioma: muitas vezes, ao aprender francês, as pessoas se perguntam, compulsivamente, sobre o porquê de um verbo ser conjugado daquela forma ou qual a sua função naquela frase. 

Mas o conhecimento e a prática vão além de regras técnicas, que podem inclusive atrapalhar o processo. Afinal, se você ficar se preocupando com conjugações ao ouvir uma música ou ver um filme em francês, seu foco no que a frase está dizendo é afastado.

Leia também: Pronúncia em Francês: 3 dicas infalíveis

Em resumo, podemos dizer que para ser motorista ninguém precisa ser mecânico. Da mesma forma, para ser fluente em francês, ninguém precisa ser um linguista! Então, se o seu objetivo é entender o que está sendo dito por nativos e conseguir se conectar com o francês da vida real, saiba que as gramáticas não vão te preparar para isso.

Mas calma! Não basta saber apenas o uso da língua

Seguindo na analogia do carro, entendemos que para dirigir você não precisa saber a mecânica e o funcionamento total dos veículos. Mas também é fato que apenas saber dirigir não faz de ninguém um bom motorista!

Os códigos de trânsito, seus símbolos e as boas práticas na direção também são essenciais para dirigir bem, pois vão contextualizar aquele conhecimento no dia a dia. Sem isso, o motorista pode cometer gafes, como cortar outros carros, mudar de faixa bruscamente, etc.

No aprendizado do francês, a lógica é a mesma: é muito melhor aprender o idioma conhecendo os códigos comportamentais, hábitos e símbolos utilizados na França e nos países francófonos. 

Assim, o seu conhecimento fica contextualizado com a cultura francesa. Ou seja, o seu conhecimento vai estar adequado ao modo de vida francês, o que influencia e muito na sua fluência. 

O próximo passo para falar francês corretamente

Agora, você já deve ter entendido que aprender regras de gramática não é algo primordial para falar francês corretamente. Afinal, conhecer (e reconhecer) as estruturas e o uso da língua, para então aplicá-las corretamente em contextos específicos, é uma forma muito mais dinâmica de aprender e atingir a fluência.

Mesmo cientes disso, ainda temos a sensação de que o estudo de regras, feito nos livros de gramática (cheios de regras e porquês), transmitem mais segurança e agrega um conhecimento genuíno. 

Isso ocorre porque, ao conseguirmos analisar uma frase em francês graças à compreensão da gramática (como identificar onde está um sujeito, por exemplo), temos a falsa sensação de controle sob o idioma. 

Mas saber as regras por trás de uma frase ou o motivo pelo qual essa frase está certa não é o mesmo que falar francês com propriedade. Por isso, tenha coragem de abrir mão dessa falsa sensação de segurança para buscar um resultado concreto, alinhado ao seu objetivo!

Destrua crenças pré-fabricadas e revolucione sua forma de aprendizado, que deve ir além de buscar regras de gramática. Para falar com propriedade, você deve:

  • esquecer caminhos antigos e engessados, que foram ensinados como a única forma de aprender um novo idioma;
  • livrar-se do peso de estudar gramática por anos e anos (para terminar sem conseguir falar o francês na prática quando necessário);
  • deixar a normatização da gramática de lado;
  • focar em entender estruturas e padrões do idioma aplicados a contextos específicos. 

Acredite: comunicar-se é o caminho natural para conhecer novas culturas e expandir os seus horizontes. E isso é bem mais importante do que simplesmente analisar frases. E aí, pronto para mudar a sua perspectiva de aprendizado? 

🚀 No Curso de Francês Método Afrancesados®, que tem sempre uma lista de espera para novas turmas, você vai entender o francês da vida real de forma fluida e intuitiva. Clique aqui e se inscreva! 

▶️ Não esqueça de se inscrever também no nosso canal do YouTube para mais novidades:

🎁 Antes de ir embora, que tal um presente? Acesse o Minicurso de Francês Gratuito do Afrancesados!

Leave a Reply

Your email address will not be published.