Isto parece familiar?

Você vai às aulas de francês e estuda em casa.

Você faz todas as tarefas.

Só que quando você vai ver um filme, um vídeo no Youtube ou falar com um francês, você percebe que não entende quase nada do francês.

É que ter aulas de francês e entender o francês falado na vida real são duas coisas completamente diferentes.

E isso porque o ensino tradicional de francês prioriza o lado acadêmico da língua e deixa a compreensão oral muito de lado.

Só que para se tornar um dia fluente em francês, não há escapatória: é absolutamente necessário entender o francês falado.

É que a compreensão oral do francês e a pronúncia são dois lados de uma mesma moeda.

É impossível falar bem uma língua, com a pronúncia correta, se você não entende o que um nativo fala.

E isso porque os passos para falar bem francês são bem definidos:

  1. Entendemos o que um nativo ou fluente fala;
  2. Reconhecemos os sons, a velocidade e o ritmo das frases; e
  3. Imitamos o que ele diz, até conseguir uma pronúncia similar.

Por isso, esse processo é essencial para chegar à fluência.

E ele deve ser feito o quanto antes.

Assim, mesmo que você esteja começando agora a aprender francês, o ideal é começar a treinar logo.

Dessa forma, você vai acostumar seu ouvido com o francês falado, imitar os sons e ritmos e melhorar sua pronúncia o mais cedo possível.

Acontece que essa habilidade dá muito medo nos estudantes.

Parece que ouvir um áudio de francês, assistir a um filme sem legendas e começar uma conversa com um nativo dá um pânico.

Você se sente limitado(a).

Você se sente meio analfabeto(a) e até infantil porque não entende o que está sendo dito.

Você se sente incapaz.

E esse medo aparece principalmente por esse motivo: nas escolas tradicionais, quando a compreensão oral é explorada, os recursos usados são completamente inadequados para o caminho da fluência.

Os estudantes só são expostos a áudios artificiais, criados especificamente para o francês básico, com vocabulário limitado, velocidade lentíssima (quase um slow motion) e sotaques neutros.

E esses áudios raramente se parecem com francês falado na vida real.

Assim, os estudantes de francês são pouco acostumados a desenvolver essa habilidade e, por isso, quando decide fazê-lo, se sentem desconfortáveis, incapazes e limitados.

Mas para acabar de uma vez com todas com esse desconforto e dar um passo rumo à fluência, a gente vai mostrar para você 4 formas de treinar seu ouvido, melhorar sua compreensão oral em francês e, assim, também melhorar sua pronúncia.

1. Leia textos em voz alta

Essa dica pode parecer óbvia e até boba, mas é um ótimo exercício para melhorar sua compreensão oral e, também, sua pronúncia.

Você vai passar a fazer a conexão entre o que você lê e o que você escuta.

E, claro, o ideal é sempre imitar aquela frase ou palavra falada por um francês.

Se você não conhecer a palavra  ou não lembrar como ela se pronuncia, vá num dicionário online, clique para ouvir a pronúncia e imite o que ouviu.

Não conhece bons dicionários online com essa função?

Esses são os que nós recomendamos:

  • Linguee: é um dicionário bilíngue que tem a função áudio.
  • Forvo: é um guia de pronúncia. Você pode ouvir frases inteiras ou a palavra desejada em vários sotaques diferentes.
  • Larousse: é um dicionário só em francês que também traz essa opção.

2. Ver vídeos em francês com legenda em francês (não em português!) ou sem legendas

Mesmo que você esteja no nível básico, é super importante começar a ver filmes, vídeos e televisão em francês.

Com recursos de audiovisual, você vai ver as imagens e o contexto e vai ouvir o francês ao mesmo tempo.

Assim, o que você não entender, você pode deduzir pelo contexto e aprender francês de forma mais natural, sem ser decorando lista de vocabulário.

Essa é a forma mais eficiente, produtiva e rápida de melhorar sua compreensão oral do francês. Ela é, inclusive, muito mais interessante do que tentar melhor sua compreensão oral por meio de músicas.

Sabe por quê?

Porque você vai ter uma ideia de como é o francês falado de verdade, seu ritmo e sua construção dentro de contextos.

No início, lembre-se de sempre colocar as legendas em francês (e  não em português) para se ligar nas novas palavras e para assimilar a parte escrita com a oral, pois em francês elas são muito diferentes.

De tempos em tempos, tire as legendas e tente assistir 3 a 5 minutos sem legendas e se concentre no que você entende.

Faça isso duas ou três vezes com o mesmo trecho para ir entendendo mais palavras e frases.

Depois de fazer isso, você pode colocar as legendas completar sua compreensão e aprender novas palavras e expressões.

Mas… sem pânico! Pas de panique !

Se você não entende nada ou quase nada no início, lembre-se de que isso é totalmente normal!

É insistindo, tendo paciência e dando tempo ao tempo que o francês vai se tornar natural para seus ouvidos.

Continue vendo vídeos e seja sempre positivo(a), você está no caminho certo!

Por isso, lembre-se de pegar conteúdos mais simples no início, para não bater desespero e desmotivação porque não entende nada.

Quer dizer, é melhor você começar com filmes, seriados e vídeos sobre o dia-a-dia, situações cotidianas e evitar conteúdos muito complexos, específicos, como os que falam sobre física quântica, ou política, por exemplo.

Quando você for se sentindo mais à vontade, pode começar a variar o que assiste e incorporar vídeos mais complicados no seu dia-a-dia.

Ah, o que nós recomendamos também é você fazer o seguinte:

  1. assistir o vídeo normalmente duas a três vezes e ver o que você entende;
  2. diminuir a velocidade do vídeo (no Youtube você pode fazer isso, por exemplo) e vê-lo mais algumas vezes. Dessa forma, você vai pegar mais vocabulário e ganhar mais confiança.
  3. ver o vídeo novamente em velocidade normal. Assim, você vai ouvir e entender na velocidade real do francês falado aquelas partes do vídeo que só tinha entendido no vídeo em câmera lenta.

Outra coisa que você pode fazer é assistir seu filme francês favorito, que você ama ver uma e outra vez, e assisti-lo várias vezes com legendas em francês e depois sem legendas.

Como você já conhece o contexto, vai ficar mais concentrado(a) em entender o que ouve do que em entender a trama do filme.

Quando eu (Roberta) estava aprendendo francês, fiz isso com “Amélie Poulain”!

Isso vai fazer você começar a se acostumar com o francês real, natural, e não somente aos conteúdos escolares artificiais.

Ah, e não esqueça de anotar as novas palavras e expressões no seu caderno de francês, para revisar depois e não se esquecer delas!

3. Variar os conteúdos

É legal assistir vídeos, filmes e séries que amamos.

Ou seguir um Youtuber que fala sempre sobre um assunto que nos interessa.

Só que se você só assistir conteúdos sobre um mesmo assunto, vai ficar com o vocabulário bem limitado.

Por exemplo, se você adora cozinhar e, por isso, só assiste vídeos de receitas em francês, sua compreensão oral vai ficar restrita ao mundo da gastronomia.

Mas, para ser fluente de verdade, você deve ter uma boa compreensão geral da língua, sobre assuntos variados.

Pois imagina alguém falar para você sobre a poluição em Paris e você não entender, pois só treinou seu ouvido para escutar receitas? A conversa iria para o beleleu né?

Por isso, apesar de ser ideal começar a treinar a compreensão oral com vídeos e filmes de temas que te interessam, para se motivar, é bom dar uma variada.

Dessa forma você vai sair da sua zona de conforto, vai conhecer contextos que não são familiares para você e aumentar sua compreensão do francês.

Rumo à fluência!

Ah, se você quer mesmo aprender francês, não esqueça de baixar o guia com 7 dicas para bombar seu francês.

Junto com ele, você também vai receber 2 bônus, e um deles traz uma lista de vários sites gratuitos para achar conteúdos variados e melhorar sua compreensão oral em francês.

Só é preencher seus dados aqui e clicar no botão para receber seu guia por e-mail 🙂

4. Falar francês!!!

Eita! Essa é a parte que dá mais medo em todo estudante de francês.

Mas para que seu ouvido se acostume com o francês da vida real, você precisa se expor e conversar com nativos e fluentes em francês de todos os lugares.

E isso porque a rapidez, o sotaque e o vocabulário com que cada pessoa fala é diferente.

Assim, você vai se acostumar e passar a entender o francês, pouco importa por quem ele seja falado!

Isso sim é ter uma boa compreensão oral e ser fluente na língua!

Curtiu as dicas?

Então compartilha com os amigos que querem melhorar a compreensão oral do francês!

Deixe uma resposta