Ça va ?

Nós somos Emilien – ou Emil para os amigos – (francês abrasileirado) e Roberta (brasileira, fluente em francês)…

E se você quer aprender francês e já se perguntou:

  • Como eu posso aprender essa língua que parece tão complicada?
  • Como eu consigo ter tempo para aprender francês?
  • Como eu posso conciliar todos os meus compromissos com a aprendizagem da língua?
  • Como eu posso pronunciar certo?
  • Como eu consigo entender e me comunicar em francês?
  • Como eu posso finalmente falar e ser eu mesmo(a) em francês?


Ou qualquer outra questão sobre o francês, seu aprendizado eficiente e sobre cultura francesa…

você está no lugar certo!

Para ser sincera, eu (Roberta) também já tive essas mesmas dúvidas e já vivi na pele situações nada agradáveis por causa das dificuldades com o francês.

Mas a minha história eu vou te contar jajá…

O que eu sei é que, assim como aconteceu comigo, se você quer muito aprender francês, provavelmente já passou (ou pode passar) por essas duas grandes dificuldades.

Dificuldade 1. Acreditar que é possível falar francês só com aulas tradicionais semanais

Pois é.
Você talvez também tenha caído nessa.
Você talvez em algum momento tenha acreditado que fazer aulas de francês duas vezes por semana durante alguns meses iria levar você à fluência em francês.

Você deve inclusive estar pensando:

só que eu também faço as tarefas de casa – completo lacunas, faço mil exercícios de gramática e de tradução.

É, eu também achava que isso seria suficiente, mas a verdade é que esse tipo de exercício não leva ninguém à fluência!

Por isso, apesar de ir a todas as aulas e fazer tudo certinho, é muito comum sentir que não está aprendendo e achar que não conseguirá nunca aprender.

Só que na verdade a primeira e maior dificuldade em aprender francês é o método usado, e não sua capacidade ou inteligência.

Dificuldade 2. Pensar que o francês é difícil demais e travar

Olha, aprender uma língua estrangeira nunca é tão fácil assim.
E com o francês é a mesma coisa.

Você vai ter que se dedicar.

Você vai ter que sair da sua zona de conforto.

Você vai ter que AGIR.

Como tudo na vida, as dificuldades vão aparecer e você vai ter que superá-las.

E isso porque não existe fórmula milagrosa para falar francês.
Ser expert na língua de Molière só depende de você.

Então se você pensar que está muito complicado, que não vai conseguir e desistir do francês, você nunca vai conseguir ser fluente.

Acredite, eu só estou te falando isso porque eu também passei por essas dificuldades

Como eu consegui falar francês como uma francesa

Do sonho francês à frustração

Desde pequena, sempre tive o sonho de aprender francês.

Eu sempre adorei filmes, música e literatura francesa.

Eu tinha essa vontade (quase irracional) de falar bem francês, de viajar pela França e de quem sabe um dia até morar em Paris.

Depois de muito lutar com meus pais (que queriam que eu focasse no inglês), aos 18 anos finalmente comecei a fazer aulas de francês numa escola tradicional.

E comecei com muita empolgação, apesar de muitos dizerem que eu nunca iria conseguir falar bem, pois tinha começado a estudar francês “muito tarde”.

Então, eu ia às aulas duas vezes por semana, fazia todas tarefas de casa com dedicação e estudava nos mínimos detalhes as lições de gramática e vocabulário.

Depois de dois anos e meio de estudos, a escola de idiomas me certificou nível avançado em francês.

Oba!!! Em tão pouco tempo virei expert em francês!

Fiquei muito feliz e orgulhosa do meu “talento”.

Bom, com meu lindo certificado em mãos e toda a confiança do mundo, suei, venci burocracias e em 2010 finalmente consegui fazer um intercâmbio de um ano na França pela universidade.

Só que, quando eu cheguei lá, eu não conseguia me comunicar.

Eu até entendia parte das aulas da faculdade e conseguia ler alguns textos simples, mas não conseguia manter uma conversa de dois minutos sequer.

Eu não conseguia nem pedir um croissant na padaria sem passar vergonha.

Eu não conseguia pedir uma informação e entender o que me respondiam.

Eu tinha medo até de atender ao telefone.

E foi aí que bateu a frustração.

Meu sonho de morar na França tinha virado um estresse a cada segundo.

Eu suava sempre que saia de casa só de pensar em falar francês.

No final no dia, só me restava dor de cabeça e desespero:

“Como assim dois anos e meio de estudo de francês e eu não consigo manter uma conversa básica?”

Bateu uma desmotivação enorme.

Talvez as pessoas tivessem razão.

Talvez fosse impossível mesmo falar bem francês tendo começado tão tarde.

Talvez eu nunca conseguisse aprender o francês como sonhava.

A reviravolta na história: aprender francês – ou vai ou vai!

Foi nesse contexto que eu, na véspera do Carnaval, conheci Emil.

Só podia ser um sinal divino, né? Na época minha festa favorita do ano, triste por estar a um oceano de distância das ladeiras de Olinda e sem entender bulhufas de francês, conheci um francês bem charmosinho hahah.

Brincadeiras à parte: eu não sou de desistir.

Mas me vi muito próxima de largar tudo.

Só que, depois de conhecer Emil, eu decidi que eu não tinha pago quase 3 anos de curso de francês, ido até a França fazer intercâmbio e gasto horas e horas estudando gramática francesa para nada.

Eu tinha que aprender essa língua custasse o que custasse (eita, mentalidade guerreira! Haha)…

Mas foi muito difícil para mim.

A maior parte dos meus amigos de intercâmbio falava 24h por dia português ou inglês.

Eles já tinham desistido do francês e me achavam uma louca por querer insistir nessa aventura.

Além disso, eu quase não conhecia franceses, pois os colegas da faculdade não eram muito abertos a amizades…

Mas eu persisti.

Devorava livros em francês, via horas de televisão e vídeos na internet (mesmo sem entender muita coisa) e escrevia e falava comigo mesma só em francês.

Era época de eleições presidenciais no Brasil, e eu resisti à tentação de ler a imprensa brasileira. Eu catava as notícias sobre o que estava rolando no Brasil nos jornais franceses.

No começo, eu não entendia muita coisa.

Mas depois eu passei a entender quase tudo, só com esses exercícios.

Muitas vezes eu dava a louca e criava conversa com pessoas na rua, nas lojas e no supermercado, só para treinar meu francês. E claro, nos encontrinhos com Emil só falávamos em francês e ele, com toda paciência do mundo, fazia o possível e impossível para que eu entendesse cada dia mais e melhorasse meu francês.

E depois de alguns poucos meses eu percebi que eu tinha aprendido milhões de vezes mais do que quase três anos em uma escola tradicional de francês!

A descoberta: de estudante mediana a expert em método de línguas

A partir daí fiquei curiosa e comecei a pesquisar sobre métodos eficazes para aprender línguas.

E adivinha só: eu já tinha usado quase todos os métodos recomendados por superpoliglotas! Que feeling, hein?

Depois de uns anos, decidi pegar todos os métodos que já tinha usado com o francês, mais novos métodos que fui aprendendo com o tempo, e aprender o espanhol.

E eu quase não acreditei quando aconteceu!

Saí do absoluto ZERO (sério, eu não sabia nem usar o verbo “ ser” em espanhol) ao nível avançado (me comunicando bem, lendo livros complexos e escrevendo documentos profissionais) em seis semanas!

Percebi, então, que tinha achado minha “pedra filosofal” das línguas.

Ah, e Emil também usou esses métodos para aprender o português, e acabou conseguindo um super emprego numa agência de comunicação em São Paulo e hoje fala super bem nossa língua.

Eu sei, você pode estar pensando: “OK, mas eu preciso então ir morar na França como você para conseguir tudo isso”. Mas a resposta é não.

Você pode criar seu ambiente de imersão sem precisar sair do Brasil e aprender até mais rápido do que quem mora na França.

Eu ensinei esses métodos para meus alunos de francês no Brasil e eles ficaram surpresos com os resultados! E isso sem precisar ir morar na França, no Québec ou em outro país francófono.

É que quando você aprende a forma certa de aprender o francês, se mantém motivado e aprende cada dia mais, não tem como dar errado!

Tudo isso parece interessante?

Se, como Roberta, você também quer se livrar de métodos ineficazes de aprendizado, progredir cada dia mais com motivação e conseguir se comunicar com autonomia em francês, então seja voce também um(a) afrancesado(a)!

Para isso, basta:

  • colocar seu nome e seu e-mail aqui embaixo
  • clicar no botão e
  • aproveitar nosso ebook gratuito com os 7 passos que vão te ajudar a bombar no francês de uma vez por todas  (+ 2 bonus especiais para você)!

Ah, e não esquece de seguir a gente nas redes sociais, para ficar por dentro dos conteúdos exclusivos e gratuitos sobre francês!